Resenha: Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld

/
1 Comentários

Livro: Onde cantam os pássaros

Autor: Evie Wyld

Editora: DarkSide Books

Ano: 2015

Páginas: 256

Gênero: Ficção

Avaliação: ★★★

Oi gente! 
Hoje nós conversaremos sobre o livro Onde cantam os pássaros, publicado pela DarkSide em 2015 e desejado por mim há muito tempo!
Este livro vai contar a história da Jake, uma mulher que mora sozinha em uma fazenda e em uma manhã ela percebe que uma de suas ovelhas morreu de forma brutal e misteriosa. Em paralelo a história, teremos também acesso a toda sua vida, desde a infância até a vida adulta.
Jake tem um passado obscuro que a assombra a todo momento e que acaba tornando-se o foco principal da história. Este livro vem acompanhado de muito horror, mas também de muita superação, se é assim que podemos falar.
Embora o livro tenha aproximadamente 250 páginas, eu não posso me estender muito na história porque todos os pontos tratados no livro são importantes e fundamentais e eu não quero correr o risco de dar um spoiler desnecessário.
Ainda neste ponto, o que me chamou muita atenção na escrita da autora foi a descontinuidade que ela dá em cada capítulo, ela trata alternadamente em cada um, o passado e o futuro da personagem e isso sem dúvidas, é muito interessante e atrativo no livro. Outra diferença é que ela vai contar o passado de maneira decrescente, partindo da vida adulta a infância e não o contrário.
Ao meu olhar, a autora foi de uma criatividade infinita e soube usar a seu favor todas as palavras, frases e diálogos; em nenhum momento o livro tornou-se cansativo, a leitura foi fluida mesmo com essa alternância de períodos.
Algo que tem me incomodado muito na compra de livros ultimamente, é a discrepância entre o conteúdo do livro e o gênero no qual ele é vendido. Em diversas lojas, encontramos este livro sendo vendido como terror, quando na verdade, ele é um suspense psicológico e foi este o ponto quem me fez classificar o livro em quatro e não cinco estrelas.
Acredito que isso deve ser melhor trabalhado entre editoras e lojas, porque de certa forma, acaba atrapalhando bastante a leitura. Quando procuramos por um gênero, esperamos que a compra retorne algo que já foi idealizado anteriormente no momento da busca e geralmente, isso não tem acontecido. Para que eu possa me expressar melhor, fazendo uma comparação fútil: é a mesma coisa que ligarmos em uma pizzaria e pedirmos uma pizza de calabresa e ela nos entregar um sanduíche de calabresa. Os dois são igualmente bons, mas o sanduíche não foi o que eu pedi. Entendem onde eu quero chegar?
O livro é muito bom, mas não era exatamente o que eu estava procurando. Não quero ter a desagradável surpresa de um dia solicitar na loja um livro de terror e receber um de romance, por exemplo.
Este livro, segundo a DarkSide na ficha catalográfica é classificado como ficção, ok. Mas por que raios, as lojas teimam em colocar como terror?? Algo que não consigo entender.
Bom, a minha experiência com ele foi ótima, gostei muito do livro e recomendo para todas as pessoas, já que a escrita da autora é muito singular. Mas lembrem-se: não é terror!
Espero que tenham gostado da resenha, não esqueçam de deixar um comentário para me fazer feliz e se quiserem ver a vídeo resenha, é só clicar ali do lado onde está escrito "aperte o play".
Beijos e até a próxima resenha!
Tchau!


Leia mais esses

Um comentário:

  1. Ótima observação, e acho justo sua colocação. Tem que chamar a atenção dos responsáveis pela publicidade, divulgação da obra.
    Pouco dias atrás assisti ao filme Goodnight Mommy, se você viu o trailer sabe que ele nos vendeu uma história de terror, e foi isso que eu esperei, quando na verdade o filme trata-se de um drama e suspense psicológico. Como você disse, isso não tira o mérito nem a genialidade da obra, mas a gente acaba criando expectativas com base no que nos foi "vendido".
    Quanto ao livro, é uma edição caprichadíssima e uma trama interessante!
    Adorei o blog, já estou seguindo ^^

    |PSYCHOTECA - tecapsycho.blogspot.com

    ResponderExcluir