Resenha: A festa da insignificância, de Milan Kundera

/
10 Comments

Livro: A Festa da Insignificância

Autor: Milan Kundera

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2014

Páginas: 136

Avaliação: ★★★★★

  Kundera, nascido em 1929, autor de romances e ensaios, que já teve suas obras proibidas e também as teve traduzidas em vários idiomas; o senhor sarcástico e filósofo, historiador e multifacetado, autor de A insustentável leveza do ser,  lança seu novo romance, intitulado de A festa da Insignificância.
  Milan se ausentou durante muito tempo dos novos lançamentos e coincidentemente deixou seus leitores com aquela curiosidade de saber do que se passava em sua cabeça. Um dos autores mais aclamados do universo literário, além dos poucos que podem ser considerados como "autores que atraem diversos tipos de leitores", Milan prova que consegue ser ainda melhor e mais sarcástico que antes.
  Criticando o mundo na atual Paris, enquanto passeia por uma praça e junto de seus cinco amigos, faz o cenário ideal para o grande retorno. A festa da insignificância, lançado pela editora Companhia das Letras, em capa dura e em edição de luxo, não fez nada mais e nada menos que me surpreender.
  Narrando a história de cinco amigos com manias e história bem peculiares, Kundera passou pela filosofia e história de maneira sutil e engraçada: Alain é fascinado por umbigos e acredita que a sensualidade da mulher está naquele pequeno ponto no centro do abdome; D'ardelo via beleza na tristeza e ao receber a notícia de que sua saúde ia muito bem, decidiu acreditar que tinha câncer, para deixar tudo mais triste.
  "-Fiquei comovido com a maneira como ele me contou... muito lacônica, quase pudica... sem demonstrar nenhum sofrimento, sem narcisismo algum. E de repente, talvez pela primeira vez, senti por aquele cretino uma verdadeira simpatia... uma verdadeira simpatia..."
  Milan conseguiu exercer com maestria seu poder de escritor, isto porque ele possui um dom inexplicável em colocar filosofia a sua narrativa. Em cada página podemos ver um pouco dele, o que é contínuo em cada livro. Milan não atrai apenas os leitores que buscam um livro que seja filosófico, ele atrai aqueles que buscam o reconhecimento de si no livro.
  É muito difícil escrever sobre quem me inspirou a ler e que sutilmente marcou meu ritmo de leitura em "antes e depois de a insustentável leveza do ser". Ele conseguiu, mais uma vez fazer com que um livro fosse multifacetado.

Obras do autor:
A ARTE DO ROMANCE (EDIÇÃO DE BOLSO) (2009)
 A BRINCADEIRA (1999) - Autor
 A BRINCADEIRA (EDIÇÃO DE BOLSO) (2012)
 A CORTINA (2006)
 UM ENCONTRO (2013)
 A FESTA DA INSIGNIFICÂNCIA (2014)
 A IDENTIDADE (1998)
 A IDENTIDADE (EDIÇÃO DE BOLSO) (2009)
 A IGNORÂNCIA (2002) -
 A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER (1999)
 A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER (EDIÇÃO DE BOLSO) (2008)
 A LENTIDÃO (EDIÇÃO DE BOLSO) (2011)
 O LIVRO DO RISO E DO ESQUECIMENTO (EDIÇÃO DE BOLSO) (2008)
 RISÍVEIS AMORES (2001)
 RISÍVEIS AMORES (EDIÇÃO DE BOLSO) (2012)
 A VALSA DOS ADEUSES (EDIÇÃO DE BOLSO) (2010)
 A VIDA ESTÁ EM OUTRO LUGAR (EDIÇÃO DE BOLSO) (2012) 


You may also like