Resenha: Preciso te ver, de Stella C. Ferraz

/
2 Comentários

Livro: Preciso te ver
Autor: Stella C. Ferraz
Editora: Brasiliense
Ano: 1999
Páginas: 168
Avaliação: ★★★
Sinopse: Adélia so queria se firmar na carreira e encontrar um amor que a arrebatasse e a envolvesse. E descobre perplexa - ela que sempre escolheu os homens que quis - que está loucamente apaixonada por uma mulher. E entre tantas, justo por Eva, a bela, fria e exigente executiva da Agência Hensel de Publicidade, cuja vida elegante e sofisticada esconde um segredo e uma cicatriz profunda.
Eu ganhei esse livro de uma amiga, a Joice do blog Cyanide Makeup, há algum tempo atrás. Lembro que na época eu procurava um livro com temática LGBT e ela atenciosamente me chamou inbox para pedir meu endereço e enviar o livro.
Quando chegou me apaixonei pela sinopse e pela data de publicação: amo livros antigos e este pode ser considerado antigo, já que é de 1999. E há dezesseis anos atrás eu nem sonhava que namoraria uma mulher, só pensava em brincar e dançar.
O que mais me chamou atenção foi a forma como ele foi escrito, quase palpável com detalhes e até os diálogos me fizeram lembrar de uma época não muito distante, mas já ultrapassada de disquetes e falta de celulares. 
O livro conta de forma direta a história de casais homossexuais e seus conflitos, desde o primeiro olhar e a paixão que instantaneamente aflora, até a fadiga causada pela rotina de um relacionamento de anos.
Adélia é uma garota [in]comum que depois de terminar a faculdade descobre que ainda não sabe qual carreira quer seguir, o caos se estabelece quando a jornalista tem que cobrir uma reportagem que ela não consegue por motivos óbvios: sangue demais para estômago de menos. Desta forma, ela pede demissão da pequena rádio onde trabalhava.
Ela se vê desempregada e sem um objetivo profissional, quando sua amiga consegue uma entrevista de emprego em um escritório de publicidade para ela. E neste escritório, durante a entrevista, ela conhece sua chefe, uma moça que desperta os desejos mais profundos e confusos de Adélia. Afinal, Eva era mulher e Adélia jamais teria pensado em algum dia, se apaixonar por alguém do mesmo sexo.
Em paralelo, temos a história de um casal com um relacionamento de anos já marcado por frustrações e mágoas. Assim como também, um casal de garotas que se encontram em uma boate uma vez por semana e nem sequer sabem o nome uma da outra.
Posso dizer que se eu esperava um livro LGBT que prendesse a minha atenção, esse foi realmente muito melhor que todas as minhas expectativas. Digo isso porque ele me fez entrar em contato com uma época que eu não conhecia, o termo "entendida" para mim era algo que eu nunca havia entendido bem, até ler o livro e perceber que há anos atrás falar homossexual ou lésbica era quase como pronunciar o "você-sabe-quem", Lord Voldemort em Harry Potter. 
Não percebi no livro um exagero nos adjetivos ou nos acontecimentos, óbvio que não tem nada mais clichê [e romântico] do que transformar a sala da pessoa que você em um jardim de rosas, mas com certeza foi o único momento em que pensei "Sério?", não houve um só momento em que eu pensei em deixar de ler o livro aliás, terminei muito rápido e pude perceber que esta história é daquelas que começamos gostando e terminamos amando!
Beijos!


Leia mais esses

2 comentários:

  1. Tudo bem,me chamo Dani gostaria muito se você me ajuda-se me informando onde poderia comprar este livro(PRECISO TE VER ,Stella C. Ferraz) ,estou louca para ler mais não consigo encontra-lo em lugar nenhum,fico no aguardo muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani.
      Não tinha sido notificada do seu comentário, me desculpe.
      Eu ganhei esse livro de uma amiga que mora no Rio de Janeiro. Até onde sei, ela achou naquela banquinha "Mais Leitura".
      Mais uma vez, me desculpe pela demora.
      Beijos.

      Excluir