Resenha: O menino de Vestido, de David Walliams

/
0 Comentários

Livro: O menino de vestido
Autor: David Walliams
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Avaliação: ★★★★★
Sinopse:
“A vida de Dennis não é nenhum mar de rosas – ele foi abandonado pela mãe, não se entende com o irmão, o pai está deprimido e, para piorar, há uma regra em casa que proíbe abraços. Só duas coisas o fazem feliz – jogar futebol e olhar vestidos bonitos. Ele é o atacante do time do colégio e adora a revista Vogue. Durante uma detenção, Dennis conhece Lisa, a menina mais bonita da escola e que também se interessa por moda. Os dois se tornam amigos e passam a se encontrar na casa dela. Até que um dia ela o convence a pôr um vestido e ir à aula fingindo ser uma aluna de intercâmbio. É nesse momento que a vida chata e comum de Dennis se transforma em algo extraordinário.”

A resenha:
Dennis é um garoto, que mora com o pai e o irmão, depois que sua mãe os deixou. A única lembrança que ele tem dela, é foto que escapou da fogueira de lembranças que seu pai fez com todos os pertences de sua mãe depois que ela fora embora.
O pai de Dennis cuidava sozinho dos meninos e raramente demonstrava qualquer tipo de afeto, exceto nos dias de futebol, que para eles, era um dia sagrado, comemoravam se abraçavam e logo que o jogo terminava, tudo voltada como antes, sem nenhum afeto.
Dennis gostava de assistir programas de televisão que seu pai e seu irmão chamavam de “programa de meninas”, mas Dennis assistia mesmo assim, já que ele ficava praticamente sem supervisão nos horários que não estava na escola.
Perto da sua casa, havia uma banca, a “banca do Raj”, Dennis passava por lá todos os dias, até que certa vez, viu a capa de uma revista Vogue, com uma moça na capa que usava um vestido parecido com o qual sua mãe usava na foto que ele havia guardado. Sem jeito, ele pagou para Raj o valor da revista e levou para casa, escondendo-a debaixo do colchão. Ele só se permitia folhear a revista- que havia adorado, por causa de todo o conteúdo sobre moda- quando seu irmão, que dividia o quarto com ele, não estava presente.
Certo dia na escola, com seu melhor amigo Darvesh, ele começou a jogar bola, mas o futebol era incomum, eles jogavam com uma bolinha de tênis, isso porque o Sr. Braveza, diretor da escola, proibiu a utilização de bolas de futebol, para que nenhum aluno pudesse quebrar nenhuma janela (Dennis e Darvesh jogavam juntos pelo time da escola e Dennis era quem marcava mais gols de todo o time). Infelizmente isso não foi eficaz, Dennis cabeceou a bola, que bateu direto na janela da sala do Sr. Braveza, que apareceu furioso e o mandou para a sala de castigo.
Chegando lá, encontrou Lisa, a garota mais linda da escola e muito estilosa. Enquanto Dennis cumpria o castigo no caderno, Lisa não fazia o mesmo, desenha várias peças de roupas, muito parecidas com as que Dennis tinha visto na revista que havia comprado.
Eles começaram uma amizade e Lisa, o convidou para ir até a sua casa, para que ele pudesse ver a sua grande coleção de revista Vogue que ela tinha. Lá, ele descobriu que além de desenhar, ela também costurava suas peças e, numa brincadeira, ele acabou experimentando um vestido que ela tinha feito.
Depois de alguns dias, por causa da sua incrível semelhança com uma garota e o curioso disfarce que eles poderiam ter criado, Lisa teve a ideia de que Dennis, vestido de vestido, poderia enganar qualquer pessoa que o visse.
Eles decidem ir à escola, com Dennis vestido de mulher, o que causa uma grande confusão, resultando na expulsão do garoto.
Dennis se vê expulso da escola, fora do time de futebol, com um pai furioso e um irmão disposto a tirar sarro dele para sempre.
Tratando-se de um livro infantil, me pergunto se todos os pais e mães deixariam que uma criança de doze anos tivesse contato com esse livro. Digo isso porque com a sociedade cheia de tabus, não sei se seria possível que algumas pessoas autorizassem a leitura, sem nenhum receio.
Entretanto, acredito que o livro faz uma menção bem real do que é a infância, a vontade de experimentar, sem preconceito, o que é se sentir como o sexo oposto. Dá para perceber bem claramente que o menino encara o vestir-se de vestido, como uma brincadeira, fundamentada na pergunta “se as meninas podem usar vestidos, por que os meninos não podem?”
Durante todo o livro a frase “isso é coisa de menina” é bastante pronunciada, com certeza, de maneira proposital, talvez para as crianças, isso passe despercebido, mas para nós adultos, não. Podemos perceber que o autor, propositalmente, tenta passar a ideia de como a frase é desnecessária e opressora.
Na minha visão, todas as crianças deveriam ler este livro, que faz com que possamos refletir no que realmente queremos, o que nos faz bem, e no “por que não podemos?”
Acredito que para uma criança, este é um livro comum, que conta a história d eum menino que se vestiu com um vestido e passou por apuros na escola. Mas, creio que para os adultos, este seja um livro que nos faz ponderar entre reprimir, ou deixar que as crianças sejam exatamente o que elas querem.
Para todos os pais e mães que estejam lendo essa resenha, só posso dizer para ler com seus filhos este livro, leiam com eles, para eles e para vocês. Este livro é uma lição doce sobre relacionamento familiar, social e sobretudo, uma lição sobre “por que nos reprimir perante a sociedade?”


Leia mais esses

Nenhum comentário: